Search

Mudança de carreira nos tempos de COVID-19

Updated: Oct 19



A pandemia de Covid-19 com certeza nos apanhou de surpresa. De um momento para o outro, muitos de nós nos vimos obrigados a ficar dentro de casa de uma forma intensa, a evitar contato social e a adaptar nossos hábitos. Além das reações naturais que muita gente teve, como medo, ansiedade e tristeza, dado o contexto mundial de muita incerteza, o isolamento social também provocou momentos de introspecção e reflexão.


Para algumas pessoas, isso pode ter significado mais gratidão às pequenas coisas da vida, apreço maior à família, amigos e momentos de socialização, ou até mesmo uma oportunidade para resgatar atividades que há muito tempo já não exercia, como ler, pintar, escrever, assistir um bom filme etc.


Para outros, pode também ter ocasionado uma reavaliação da vida que leva. Questões como, qual meu propósito? Será que estou alinhado com meus valores? Será que estou vivendo de uma maneira autêntica? Essas motivações que carrego comigo são verdadeiramente minhas? podem ter sido levantadas.


Se você se identifica com o segundo cenário, saiba que não está sozinho. Nos últimos tempos, tenho recebido novos clientes com questões similares, principalmente no que diz respeito à vida profissional.


Muitos deles sentem que a pandemia proporcionou a chance de iniciar uma jornada de autodescobrimento, e ao olhar para dentro, eles perceberam que viviam no piloto automático. Hoje, eles estão em busca de mais qualidade de vida, mais propósito no trabalho, uma carreira que esteja alinhada com seus valores.


Caso essa seja sua situação, e você esteja pensando: mas como vou fazer uma transição de carreira num momento de crise? Saiba que a crise pode ser boa. Ela traz consigo a ampliação de oportunidades, a chance de se reinventar, e pensar “fora da caixa”.


Eu sei que estamos passando por um período de incerteza, e bate aquele medo de fazer planos para o futuro, mas nada te impede de se preparar para o próximo capítulo de sua vida. Aproveite esse momento de reflexão e introspecção para entrar em contato com você mesmo, explorar seus pensamentos e emoções e organizar seus planos.


Pense nele como uma oportunidade para esboçar os fundamentos da sua edificação.

Para te ajudar nesse momento em que você está contemplando uma transição de carreira, eu separei algumas dicas que podem te guiar no processo de autodescobrimento.

Vamos lá!


Comece com as perguntas importantes



Muitas vezes, nós escolhemos uma determinada carreira quando éramos muito jovens, ou porque alguém da família disse que “dava dinheiro”. De qualquer forma, a carreira que você enveredou há muito tempo pode já não servir para a pessoa que você se tornou.


É muito fácil a gente entrar no piloto automático e deixar a vida passar. Mas é importante reservar um momento para explorar quais são suas verdadeiras aspirações, anseios e pontos fortes. Simplesmente mudar de uma empresa para a outra pode não ser a solução.

Permita-se descobrir quais são suas paixões, motivações, competências etc.


As perguntas abaixo vão te orientar a fazer uma autoavaliação, baseada naquilo que você realmente é, em vez do que você “deveria” ser.


- Em toda a sua carreira, houve um momento que ficou tão feliz e realizado com um projeto/tarefa/atividade que você poderia ter feito aquilo até de graça? Qual?

- Quais foram as experiências mais significantes na sua, que te fizeram ser quem você é hoje?

- Quais são seus pontos fortes? (Sugiro que você faça a avaliação gratuita pelo site do VIA Institute – questionário está também disponível em português)

- Qual foi o teu pior dia na sua carreira? Um dia que você gostaria que nunca acontecesse de novo. Descreve o que aconteceu

- Você alguma vez já ajudou alguém e logo depois se sentiu muito bem, quase que pleno? Se sim, o que aconteceu? Descreva

- Você acha que a maneira como você olha para o mundo, o seu papel e propósito nele mudaram com o tempo? Se sim, o que aconteceu? Descreva

- O que foi que você alcançou/realizou na sua vida que te deixa imensamente orgulhoso?

- Quais são os obstáculos que você encontra para mudar de carreira? Sejam eles externos ou internos

- Quais pontos fortes você pode usar durante a transição de carreira?


Essas perguntas vão te ajudar a aprofundar o processo de autodescobrimento. O objetivo é a tua curiosidade e processo criativo para que você entre em contato com suas raízes, suas motivações mais íntimas e pessoais, e preferências.


Lembre-se que as respostas não vêm do dia para a noite, por isso, dê um tempinho para respirar. O importante é “plantar a sementinha” no inconsciente, e deixar as respostas virem à tona.


Resgate seus hobbies!




Sabe aquela atividade ou passatempo que você a-d-o-r-a, que você poderia passar horas ali entretido, sem nem ver o tempo passar? Volte a fazê-la!


É essencial que você cultive hobbies que você ama durante esse processo de autodescobrimento. Eles nos ajudam a relaxar, a focar em nós mesmos, e auxiliam também o processo cognitivo. Quase como uma meditação.


Vou dar um exemplo: eu adoro bordar, mas não é sempre que eu tenho tempo. Quando eu bordo, eu fico ali horas, me curtindo, apreciando o processo, fazendo algo só por fazer, focada em cada movimento da linha, presente no momento, contemplativa.


Portanto, seja qual for teu hobby, se faz muito tempo que você não o pratica, eu te aconselho a resgatá-lo, o mais breve possível.

Dê-se tempo



A transição de carreira é um processo, não um destino. Permita-se fazer as coisas com calma, afinal, grandes decisões como mudar de carreira devem ser pensados com muito cuidado e carinho. O momento em que você começa a agir e se organizar para encontrar uma carreira mais satisfatória, você também exercita seu empoderamento e autoconfiança.


É bom lembrar que esse processo não é linear. Ele vai estar permeado de altos e baixos, e às vezes, você vai sentir que está numa espécie de limbo – nem lá, nem cá. Te digo já: é natural. Esse é o período da ambiguidade, de incerteza, em que aquilo que achávamos que era bom, já não serve mais e o futuro é incerto, sem garantias.


Você pode até se sentir desconfortável fisicamente nesse momento, titubeando entre continuar preso àquilo que você já conhece, ou simplesmente chutar o balde.


Essa fase, apesar de delicada, é muito necessária para a sua jornada. É nela que você vai processar as emoções mais profundas que, ao mesmo tempo, vão te levar a conclusões decisivas. O foco nesse período está em explorar, descobrir e sentir, do que executar.


instagram.com/humanistic_coach

18 views